Menu

Menu II

domingo, 11 de março de 2012

SUPER DOWNLOAD: ANTES DA CONQUISTA 1. 2. Uma pálida imagem: sociedades indígenas no centro do continente - PRESOTTI, Thereza Martha Borges. Na Trilha das Águas: Índios e Natureza na conquista colonial do centro da América do Sul: Sertões e Minas do Cuiabá e Mato Grosso (Século XVIII)

ANTES DA CONQUISTA
1. 2. Uma pálida imagem: sociedades indígenas no centro do continente

 Durante o I Encontro Mato-Grossense de Arqueologia (Cuiabá, 1995) a arqueóloga Irmhild Wust, sugeriu que para essa região central da América “convergem influências amazônicas e chaqueanas, e o conhecimento de seu patrimônio arqueológico desempenha um papel importante para a pré-história brasileira e sul-americana [1].
Até cerca de uma década atrás, havia registros oficiais de 498 sítios arqueológicos no Estado de Mato Grosso e pelo menos 161 destes ainda não estavam catalogados: 249 sítios lito-cerâmicos (antigas aldeias de sociedades que em geral praticavam a agricultura); 186 abrigos em cavernas; 109 aterros de ocupação por grupos pré-cerâmicos e cerâmicos; 43 sítios líticos a céu aberto (acampamentos ou oficinas de grupos caçadores-coletores); 17 lajes com gravuras e 14 sítios históricos. As inúmeras pinturas rupestres expressam a criatividade artística e o senso estético dessas populações; os artefatos de pedra lascada e os objetos cerâmicos dizem respeito ao domínio de “uma tecnologia que perdurou por cerca de 11.000 anos como instrumental eficaz na manutenção e na reprodução de suas sociedades[2].


[1] WUST, I. O Patrimônio Arqueológico do Mato Grosso. In: Boletim do I Encontro de Mato-grossense de Arqueologia. Fundação Cultural de MT, agosto, 1995, p. 1.
[2] Idem, loc. cit.
Postar um comentário